domingo, março 23, 2008

da folga

Para uma semana santa (que nem é de fato uma semana, já que, oficialmente, o feriado é só sexta-feira, por isso mesmo trabalhei até às 19h de quinta; o sábado é dado de presente às vezes, e o domingo é, tecnicamente, o primeiro dia de uma nova semana. Tudo isso não passa de uma ilusão para enganar pessoas desesperadas por um descanso) sem expectativas, eu diria que foi agradável.
O plano - que nem era plano, e sim uma vontade tremenda - era de ver filmes atééé o infinito! Ver todos os filmes da vida inteira que eu tenho vontade de assistir e não tive oportunidade, mas, como eu imaginava, a oportunidade também não apareceu no feriado. Os filmes que eu quero nunca têm na locadora e eu não sei baixar essas porcariazinhas na internet (e não venham me dizer que é fácil. Eu simplesmente não sei e não quero aprender. Eu quero o filme pronto pra dar o play)
Então, recorri ao cinema. Fui ver Juno que, milagrosamente, chegou aqui em pouco tempo. Juno é aquele filminho basiquinho e simpático que concorreu ao Oscar sabe-se lá por quê. Os caras do Oscar sempre inventam essas coisas de última hora, mas é bonzinho sim.


No sábado surgiu um convite de cinema em casa e fui ver Caçador de Pipas. Já tava querendo assistir desde que viajei, mas no dia que decidimos ia ao cinema, a terra do frevo resolveu fechar as portas do cinema.

O irmão da Patty baixou o filme e fomos assistir na casa da Manu. Loading...loading...e nada. Não funcionou. Descobrimos que estava em uma formato divx, e que não era qualquer dvd de 90 reais da Bolívia que conseguia ler. Então fomos todos pro quarto do Edu ver no computador. Assim como todo filme de livro, Caçador de Pipas é incompleto. Você fica lembrando de todos os detalhes e cenas minuciosamente descritas no livro e que o filme não deu conta de repassar. É aquela frustração de não ver os personagens da forma que você imaginou e nem ouvir as falas mais emocionantes. Não me orgulha dizer que li o livro, porque metade do mundo leu também, mas, certamente, quem chora no filme não conhece a história. E olha que eu sou chorona...

15 comentários:

Fabiana disse...

Eu já gostei de filmes, via muitos, o tempo todo. Mas agora não sei o que me deu, não consigo ficar parar pra assistir. Não ligo mais... E quanto ao Caçador de Pipas, comprei o livro, mas não consegui passar da pág 40. Será que estou fora das massas?

Sugestivel disse...

Tu simplesmente não gostou. E deixe de ser elitista :P

Fabiana disse...

Ih, vai brigar comigo agora, é?!
O tal do Khaled é chato demais! Mas vou tentar ler de novo pq não também gosto de ser elitista...
Já os filmes, dá mais não.

Igor disse...

Acho que é justamente o contrário: você deve se classificar como sendo da turma que considera o underground, o não-popular, o autor cujo nome apresenta cinco consoantes para cada vogal, sinônimo de inteligência. Tendo em vista que essa turma está cada vez maior, considere-se fazendo parte de uma grande massa. :)

Beijo no coração.

Fabiana disse...

Não sei o que é underground e odeio Nietzsche (por causa do tal processo de vitimização). Então tb não me encaixo nessa, rs.

Hermington Franco disse...

Desistam, ela só quer ser a doida...

dissonante disse...

Vários filmes vieram na mala, que tal uma sessão?

Sugestivel disse...

Jura?
Eu quero muitoooooo
:D

Helder Júnior disse...

É o que eu sempre digo; "A Fabiana tem um problema só..."

Fabiana disse...

Filmes - consei!
O Caçador de Pipas - Grandes m...
E eu sou totalmente sã, da forma mais Junguiana possível.

Sugestivel disse...

Eu sabia que ela não ia deixar quieto...
hahaha
Fabi me diverte.

camila alam disse...

Amei Juno!!! não acredito q vc ñ gostou!
a trilha, o figurino, a doçura, as sacadas! é ótimo!! rs

bjos amiga!

thiago disse...

"juno" é simplesmente belo. ponto!

Sugestivel disse...

Mas foi isso mesmo que eu achei de Juno. Um bom filme(ponto)

patty disse...

Amiga devo concordar com vc que tbm fiquei frustrada em relação ao filme pois quem leu o livro sabe que ali nao tinha nem a metade do cenário e nem muito menos da história, eu tbm me decepcionei com os pernonagens, imaginava outra coisa do hassan e cadê seu lábio lepurino que não mostrou no filme? fala sério né, os cineastas tem que ler mais vezes os livros qdo forem lançar seus filmes baseados nos mesmos, para não causar tal decepção nos telespctadores, pois pensei assim como vc, que iria chorar rios de lágrimas como fiz qdo o hassan foi violentado sexualmente...
Prefiro não comentar....