quarta-feira, novembro 29, 2006

Da banalização

Sinto falta do tempo em que poesias e mensagens bonitas eram pra poucos. Quase um privilégio. Era preciso cautela para usá-las, pra não degastar.
E um dia você aprende que não se deve repassar uma mensagem tão significativa de William Shakespeare numa corrente de e-mail, ao ponto dela virar legenda de foto no orkut.
Aprende que, apesar da líndíssima letra de "Canção da América", ela sempre lembra a morte do Senna.
Aprende que todas essas palavras perderam a originalidade e estão entregues ao mundo imoral da internet.
Triste isso.

Um comentário: