quarta-feira, março 17, 2010

Papo de índio

Antes de qualquer coisa, confesso que tenho essa mania feia de prestar atenção na conversa alheia. Mas também, quem manda esse povo falar alto?
Se fala alto é porque quer compartilhar o assunto, oras.
Então eu estava almoçando em um restaurante que sempre vou e na mesa ao lado tinha uma galera da floresta. O rapaz explicava empolgadamente aquilo que, de longe, me parecia a programação de algum festival indígena.
Hora para o almoço, contação de histórias indígenas, danças típicas e uma sessão de filme.
“Aí, txai, às 16h vai ter uma sessão de filme. Avatar. Já viu? Txai, esse filme vai mudar a cabeça dos índios!”
É nesses recortes inusitados do cotidiano que a minha mente afetada logo imagina uma tribo indígena tingindo o corpo de azul e querendo fazer sexo pelo rabo.

3 comentários:

Fabiana Mesquita disse...

"imagina uma tribo indígena tingindo o corpo de azul e querendo fazer sexo pelo rabo"

Medo.

Álefe Souza disse...

Tbm tenho essa mania, Deda! Escuto cada coisa!!Hihi! Não quero nem imaginar essa cena dos índios!! kkkkk!!

Bj

Handreh disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKK