quarta-feira, setembro 12, 2007

acabou


Segundo o calendário acadêmico, hoje é o último dia do semestre. Isso significa que daqui duas ou três semanas eu não precisarei mais sair de casa às 18:30, me estressar com o trânsito, desviar(ou não) alguns buracos do campus, estacionar sempre no mesmo lugar, entrar na quarta sala, procurar minha cadeira canhota e colocá-la na segunda fileira, perto da janela.
Significa também que eu não vou mais comer lanche que me faz mal, tirar xerox a R$ 0,10 e sempre reclamar da máquina com o Garibaldi, enquanto ele canta alguma música da banda Calypso.
Eu também não precisarei mais me levantar durante a aula pra procurar minha bolsa dentro da mochila do Jefferson, que os meninos sempre insistem em esconder.
E não vou mais arrancar folhas do meu caderno pra bater um papo durante a aula.
Não brigarei mais com professores, nem os deixarei roxos de raiva. E também não organizarei mais festinhas surpresas ou de despedida.
Eu não serei mais a editora chata do jornal A Catraia.
Não verei as tchuras todos os dias.
E nem terei um grande público pra me ver encostar a boca no nariz.
Não comprarei o caderno das Meninas Superpoderoras da próxima coleção volta às aulas.
Não rirei das piadas dos meninos e nem escutarei os apelidos do pessoal da sala.
Não escreverei mais nenhum post legal, falando mal de alguém da sala. Não correrei o risco de ser processada por isso e, provavelmente, não receberei 15 comentários.
Os meninos não virão mais aqui em casa para conversamos duas horas antes de começar a resolver alguma coisa do trabalho e, quando resolvermos começar, passarmos mais uma hora discutindo o que comprar no supermercado para lanchar.
Eu não me estressarei mais com os trabalhos. E não rirei disso depois.
E nem poderei mais falar palavrão e dizer que foi influência dos meninos. Mas foi, porra, eu juro!
A faculdade foi muito boa. Boa mesmo.
Mas agora eu preciso dar outro sentido às minhas noites. E, confesso, vai ser difícil.
Saudades. Sempre.

5 comentários:

Carlos Leite disse...

Cara, fiquei com vontade de estudar jornalismo depois disso. Mas só se tu cursar comigo também!

E eu quero ver essa boca no nariz!

fabiana disse...

Dá pra me dar os adesivos da era do gelo agora?!

sugestivel disse...

Nunca!

Geisy Negreiros disse...

É amiga,também vou sentir falta do Garibaldi cantando calypso e contando as mil histórias mirabolantes da mãe dele. Vou sentir falta dos assobios dos meninos toda vez q eu saía da sala de fininho, das suas idas ao banheiro toda vez que chegava à Ufac, e antes de ir embora tbm, do nariz encostando na boca, que é único!, das sua combinação de roupas completamente combinante, heheh, do mau humor bem humorado da Fabi, da mania dela de querer ir embora pro Rio, das nossas conversas sobre o sexo oposto, das risadas, das besteiras, das palavras inventadas, das brigas, de tudo, de cada instante, nunca esquecerei! Espero daqui alguns anos continuar encontrado com as tchuras, e dar sequencia a esse circulo de amizade maravilhoso! Prometo que vou me esforçar pra comparecer aos clubes! Amoooo muito todas e todos os tchuros que tive o prazer de conhecer e conviver por esses 4 anos. Ah e também não me conformo pq não vamos ter festa de formaturaaaa e morro de inveja da sua viagem para o nordesteeeeee, meee levaaaa amiga!!!!! :*****
Geisy Negreiros

Leide disse...

Procuarndo algo sobre o curta sobre benzedeiras encontrei este blog e resolvi lê teu texto. Adorei!!
Também estou perto de concluir meu curso. Mais minhas lembranças ficam longe, ano luz dessas que escreveu. Muito legal. Queri ter tido a sorte de estudar em tua sala. A turma parece ser bem amiga e companheira, Queria poder volktar no tempo e talvéz fazer minha turma ser um pouco parecida com esta que descreveu. Valeu!!
Boa sorte no novo rumo que der as suas noites. Eu em julho de 2008 também terei que dar um novo rumo as minhas noites também.
Foi um prazer.