domingo, junho 22, 2008

Bubble

Esses dias Jux e eu estávamos conversando sobre os filmes que estão sendo exibidos pelo Centro Cultural Banco do Brasil aqui em Rio Branco (CCBB), a falta de público nessas iniciativas tão bacanas e pela chance que perdi de ter assistido a tantos filmes bons.

Hoje, no último dia, fui ver Bubble, por indicação da própria Jux. Cheguei 7,5min atrasada no Teatrão, porque pensei que era no Teatro Hélio Melo e quando cheguei lá me deparei com "O galinho Chicken Little" (que não deixa de ser uma produção legal, já que eu adoro animações, mas não era bem o que estava procurando para um domingo à noite).

No escuro do Teatrão, saí tateando as cadeiras e sentei o mais rápido possível. Na imensidão das mais de 500 poltronas vermelhas e acochoadas, só uma moça na minha frente. Pouco tempo depois, um casal atrás.

Aí lembrei da conversa com a Jux e de como as pessoas reclamam à toa, justificando que na cidade não tem nada pra fazer, nada interessante, quando elas mesmo não procuram. Não sei se o evento foi bem divulgado e mesmo que tivesse sido, existe sempre um público seleto. Primeiro, porque a massa se anula. Acha que cinema é coisa pra rico, mesmo estando ali, de graça. A outra acha 'cult' demais assistir a um filme que não seja de Hollywood e nem aparece...
O filme é uma beleza. Uma produção israelense com um roteiro divertido e inteligente e uma fotografia meio sombria...Escolha sútil que combinou bem com o enredo.
A sessão terminou e vi que a moça da frente era a Manu, que fez curso de cinema comigo, e o casal de trás era o Handreh e a Mayara. Todos conhecidos. Só confirmei o que tinha dito a Jux.

8 comentários:

Anônimo disse...

Nem sei como cheguei a esse blog, sei que procurava algo sobre cinema, algo bom, é claro! Mas o que interessa mesmo é que essa galerinha que se acha "cult" porque é bitolada em cinema, especialmente os do circuito alternativo, que fazem disso uma obrigação porque viram sei lá onde que é in, mas qdo observados percébe-se logo que não têm sequer o perfil, têm na verdade um perfil pop bobo total. Reclama que pouca gente vai assistir, como se vcs realemnte achassem ruim isso. Ora, mas se fosse um público maior, que graça teria vcs assistirem ao filme, vcs seriam tão comuns, não é verdade? Caiam na real, se realmente querem que mais pessoas assistam aos filmes alternativos que vcs tanto idolatram, porque não divulgam. Por que não usam esse negocinho chamado blog - que só tem besteiras e auto-afirmações numa tentiva desesperada de melhorar a auto-estima abalada de quem os escreve - para divulgar? Ter um diário público contando os blá-blá-blás do seu dia desinteressante não é muito cult, não. Quer ser interessante, garota? Divulga o que realmente interessa, faz desse blog, que ainda é inútil, virar algo bom e agardávelde de ser visto, é para isso que ele está na rede! Críticas são muito fáceis de fazer, essa que eu termino agora foi mole, mole.

Sugestivel disse...

É por isso que eu adoro os anônimos. Eles sempre me divertem nos comentários, principalmente nas críticas. E isso rende bem mais comentários, porque talvez ele volte aqui só pra ver no que deu...ou não
Me tachou de 'cult'e ainda criou todo um perfil pra mim.
Eu gosto de cinema, de Hollywood ao Camboja.
Acho uma pena mesmo as pessoas não irem. São só filmes, ora merda.
Eu, hein...

O seringueiro Voador disse...

Foi mal divulgado, afinal eu não tava sabendo se não iria.

Tipo, quando souber dessas coisas avisa ai no seringueiro voador.

Falows!!!!!!!!!!!!!!

P.s. esse anônimo foi ótimo mesmo.

Gildson

Samuel Bryan disse...

adouuuuro comentarios anonimos
me sinto gratificado
geralmente os q aparecem no meu blog me fazem ganhar o dia
enfim... eu fui a unica pessoa do mundo q realmente nao gostou desse filme?
uhauahau
beijosaparecenomeublog

Pensamentos Soltos disse...

aaaiii... eu realmente acho que Curitiba merecia um CCBB... droga, viu?!
Enquanto isso eu fico com os Circuitos Culturais BB que sempre arrasam.

O seringueiro Voador disse...

Filme ruim foi o Caçador de Pipas que passou ontem no Hélio Melo

uma pena..
um livro tão bom, merecia um filme bom.

Anônimo disse...

toma no cu anonimo

Dani disse...

Eu penso sempre isso quando eu vou ao cinema e vejo as cadeiras vazias. Ir ao cinema, em si, é um compromisso que eu tenho comigo mesma. Não é a mesma coisa que ver o filme em casa. O cinema tem um cheiro próprio, aquela imagem meio opaca, um som próprio, que nem o melhor home theater do mundo reproduz.