segunda-feira, outubro 20, 2008

Poema de amor


Posso dizer, com propriedade, que todas as vezes que Tarcísio Meira e Glória Menezes interpretaram casais amorosos em novelas (e não foram poucos), deram um jeito de recitar um poema romântico em uma de suas cenas, quase sempre de Drummond. Na última semana não foi diferente, e para meu deleite, foi a primeira estrofe de um dos mais lindos que o poeta escreveu.
Admito, caros leitores e querida Nattércia, eu vejo novela! É assim que desestresso.
Segue o poema completo. Creio que concordarão comigo:

Amar

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
e o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o áspero,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

Carlos Drummond de Andrade

9 comentários:

Nattércia Damasceno disse...

Er...Nãopodemos mais ser amigas. Você está demitida do sugestível! rs

Eu já vi novelas. muitas até. mas larguei essa vida há algum tempo e não me arrependo. Desestresso vendo reality shows americanos do tipo 'antes e depois' :D

E, Drummond, como sempre, mandou bem!

Dianna disse...

Dedaaaaaaaaaaa!!!

Passando rapidinho só pra te deixar um beijao e dizer q to com saudadona d vc!!

Xau

Hermington disse...

e alguém duvidava que a Fabiana fosse noveleira??

Fabiana Mesquita disse...

Já passei dessa fase de detestar novelas. Aliás, tudo tem seu momento (atualmente estou aversa ao cinema)... E agora que fui demitida do Sugestível, vou ter mais tempo para assistir.
:P

Samuel Bryan disse...

nao importa o q falem da globo e seus atores...
eles dois como casal romantico são sempre ótimos
^^

eliz tessinari disse...

ah, nada a ver. adoro novelas! ótimo cenário para estudarmos a indústria cultural, a publicidade como a mola do consumo... ehehe...
e o que há de mais bonito: o amor.
não vou comentar as atrocidades, claro! rs.

dissonante disse...

Hoje tava assim, amando amando desamando, amando de novo. Que bom achar Drummond aqui escrito por Fabi e vê que a alma alimenta-se bem.
beijocas

Kethleen disse...

O folhetim tem seus encantos... e também inúmeros desencantos... mas, Drummond é inenarrável.

Belo poema!!!

Regis disse...

Transcendente! Cada dia acho que o Tarcísio Meira está mais novo que o Tarcísio Filho.