quarta-feira, outubro 29, 2008

Cícero, o gato hiperativo

Ele é discípulo do Gato de Botas do Shrek
Não sei onde eu estava com a cabeça quando pensei que ter um gato de novo seria uma boa idéia. Depois da traumática experiência com a Tutti, achei que esqueceria esses bichos por um bom tempo...
Engano meu.
Com a convivência com os pichanos da minha avó, acabei levando a coisa a sério e encomendei um filhote da Tutti II.
Ele nasceu lindinho, branquinho e do olho azul.
Chegou lá em casa todo tímido, chorão e com um olho doentinho. Até ganhou o apelido de piratinha, porque andava se batendo pela casa, mas bastou um dia pra criaturinha se ambientar.
Hoje sobe no sofá a hora que quer, derruba os porta-retratos da sala, desliga a televisão (puxando o fio da tomada, mas logo logo ele vai aprender a usar o controle remoto. é só uma questão de tempo) e dá susto na gente.
Quando pensei em um gato, queria um companheiro pra ver TV, bater um papo...Não uma peste peluda e encrenqueira que fica batendo na minha cabeça e se escondendo depois, esperando que eu entre no joguinho sujo dele.
Eu não queria um felino arisco, que se enrola nos fios do meu computador, derruba tudo e ainda arranha minhas pernas.
Ainda tenho esperança que ele irá se tornar um gato fino, elegante e sincero e que a maturidade mudará esse comportamento infantil que ele vem apresentando a cada dia.
E comigo não tem essa de diálogo não. Apanha mesmo!


9 comentários:

Italo Rocha disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!
Parece a minha cachorra!

Anônimo disse...

Ahahaha, isso me assusta! Já pensou em tratamentos alternativos? Som erudito, ioga, incenso, psicanálise. É necessário investir nesse negócio, a mente é algo muito subjetivo e algumas agressões podem ser irreversíveis. "É melhor prevenir do que remediar." hihihihihi

O seringueiro Voador disse...

E comigo não tem essa de diálogo não. Apanha mesmo!


Confissão de maus tratos com o animal!!!!!

Processo, processo, processo!

Victor Manfredine disse...

paciência com o piratinha.
ele também é filho de Deus!

fabiana disse...

Ele ainda é bebê, quando ficar maior vai sossegar.
Não que eu goste de animais de estimação...

Pensamentos Soltos disse...

acho lindo que não é meu... hehe
não tenho o menor "dom" (se é que se pode dizer assim) para ter bichinhos de estimação. Não não e não.

Não dáaaa...
mas boa sorte!

...vdj... disse...

Criar um felino demanda tempo e dedicação. Eles não são tão "independentes" como dizem. Já tive gatos e sei que vale a pena. São excelentes companheiros e carinhosos também. Procure castrá-lo antes dos 6 meses, pois ele se tornará mais calmo com o tempo. Boa sorte.
[]'s
.
.
.

Álefe Souza disse...

Gente, que gato sem-vergonha! Mas vc não tem medo dos "direitos animais" não? E se alguém te denunciar por maus tratos ao bichano? Rsrs. Amei teu blog, Deda! Bj

Tatiana Richardt disse...

Olá! Se eu te disser que estou passsando pela mesma situação você acredita? Perdi o meu que era um anjo, entrou o demônio de gato. Eu e meu marido não estamos nos adaptando. O Cícero acalmou depois dessa postagem?