quarta-feira, outubro 10, 2007

"A vida é cheia de som e fúria"

Hoje eu tô numa mistura de Michael Douglas em Um dia de Fúria com Matt Dillon em Um dia Perfeito e uma pitada do falecido Francisco Milani, o Saraiva do Zorra Total, com o seu famoso bordão "tolerância zero"
Pelo título dos filmes, essas crises parecem ter duração limitada: "um dia..."
Um dia sem saco, sem paciência, sem provicianismo de cidadezinha do interior, falso moralismo, precipitação, verdades inquestionáveis.
Um dia pra não ouvir perguntas bestas, porque, apesar de falar demais, eu tenho a consciência de que fazer intervenções utilizando o senso comum ou sempre se baseando nas falas dos professores não significa absolutamente nada, além de ser chatíssimo.
Um dia pra ler coisas extremamente irritantes e, mesmo assim, continuar lendo só pra se revoltar com as posições alheias.
E, finalmente, uma dia pra lembrar que o salário tá na conta e sair pra comprar um sapato novo.
Pronto. Passou.

2 comentários:

Suy moondovh disse...

Que bom...

Acabei de descobrir que eu não sou a única pessoa do mundo que acalma todos os seus problemas existenciais com um sapato (e olhe, pra mim resolve até dor de chifre...mas no caso...num dá pra ser só 1...tem que ser 2)rsrs...

o.o

Bjus!

Samuel Bryan disse...

e quem disse que dinheiro nao resolve problemas pessoais?
rsrs